Intestino Neurogênico (Incontinência Fecal)

Incontinência fecal é a incapacidade de controlar a eliminação das fezes. Pode variar de um vazamento ocasional das fezes, até a perda total do controle sobre os movimentos intestinais, levando à incapacidade de reter as fezes involuntariamente. Esse distúrbio compromete a qualidade de vida e se manifesta mais nas mulheres do que os homens.
Para compreender melhor como se dá o controle da evacuação, é  preciso conhecer melhor a anatomia pélvica. Na parte de trás da pelve óssea, popularmente conhecida como bacia, localiza-se o osso sacro que é formado pela fusão de cinco vértebras do final da coluna, e pelo cóccix. A região inferior da cavidade pélvica é composta pelo períneo, onde se encontram os órgãos genitais e o canal anal. A musculatura do períneo confere suporte à musculatura anal, a porção final do aparelho digestivo. O canal anal apresenta um esfíncter interno e outro externo e é enervado pelo nervo pudendo, sendo este fundamental para o funcionamento de toda a musculatura da base do períneo e pelo controle dos esfíncteres. Qualquer alteração anatômica ocorrida nessa região poderá levar à incontinência fecal.
As causas dessa afecção são diversas. Pode ocorrer de forma breve, durante crises de diarreia ou quando as fezes endurecidas se comprimem no reto (compactação fecal). Indivíduos com lesões no ânus ou na medula espinhal, com prolapso retal, com demência, com lesões neurológicas resultantes de diabetes, com neoplasias no ânus ou lesões pélvicas durante o parto, podem desenvolver incontinência fecal persistente.
Estima-se que a incontinência fecal moderada ou grave tenha prevalência de até 7% na população em geral, e que até 80% das pessoas de idade avançada internados em instituições geriátricas sofram com isso. Ainda, cerca de outros 7% da população adulta perdem diariamente quantidade mínima de fezes, incapaz de comprometer o convívio social. 
Grande parte das decisões de internação de pacientes idosos em instituições desse tipo é influenciada pela presença da incontinência fecal. 
As causas são diversas, e podem incluir doenças inflamatórias dos intestinos, lesões do sistema nervoso central, traumas obstétricos, fraquezas musculares, uso de remédios, e outras causas. 
Por esse motivo é essencial que se estabeleça o tratamento adequado para cada um dos casos. 
As manifestações clínicas iniciam-se com a perda da capacidade de segurar os gases intestinais. Progressivamente esse sintoma piora, o ânus torna-se mais flácido, mais frouxo, e elas não contêm mais a diarreia (fezes líquidas). Quando há o agravamento do quadro, deixam de reter também as fezes sólidas. Por esse motivo, precisam usar um protetor nas roupas e, muitas vezes, deixam de sair de casa, de trabalhar, de viajar, pois têm medo de não chegar a tempo ao banheiro.
Como é esperado, a incontinência fecal pode comprometer profundamente a qualidade de vida e gerar um trauma psicológico grande.
O médico deve examinar o paciente em busca de qualquer anomalia estrutural ou neurológica que possa estar provocando a incontinência em questão. Isso implica o exame do ânus e do reto, a confirmação da sensibilidade ao redor do ânus e, geralmente, a realização de uma sigmoidoscopia (exame do cólon sigmoide utilizando um tubo flexível de visualização). Podem ser necessários outros testes como um exame de estado funcional dos nervos e dos músculos da pelve.

Causas

A causa pode ser congênita ou adquirida. Quando adquirida, resulta de enfermidades localizadas na região anal, de traumas como os provocados por acidentes de trânsito, de cirurgias no períneo, de fissurectomias que podem exigir a secção dos músculos do esfíncter, ou de cirurgias para tratamento de câncer.
Enfermidades como derrames (AVC), diabetes e esclerose múltipla, assim como o envelhecimento, também podem causar incontinência fecal. Nas pessoas mais velhas, costuma ocorrer redução no número de células do períneo e fechamento insuficiente do canal anal.

Predominância nas mulheres

A incontinência fecal predomina nas mulheres principalmente por causa do trabalho de parto que determina o estiramento e a degeneração parcial do nervo pudendo. Outra causa importante é a prisão de ventre mais comum no sexo feminino.
Acima dos 70 anos, a incontinência fecal se manifesta igualmente nos dois sexos.

Sintomas

A incontinência fecal predomina nas mulheres principalmente por causa do trabalho de parto que determina o estiramento e a degeneração parcial do nervo pudendo. Outra causa importante é a prisão de ventre mais comum no sexo feminino.
Acima dos 70 anos, a incontinência fecal se manifesta igualmente nos dois sexos.

Diagnóstico

O diagnóstico baseia-se no exame proctológico, que permite avaliar a flacidez do ânus, e na retossigmoidoscopia para visualizar a parte interna das porções mais baixas do intestino. Para diagnóstico de incontinência fecal mais acentuada são necessários exames como a eletromanometria e a miografia (Medida do Tempo de Latência do Nervo Pudendo).

Tratamento

Primeiramente, para corrigir a incontinência fecal, é necessário estabelecer um padrão regular de evacuação que gere fezes bem formadas. Uma alteração na alimentação, como a adição de certa quantidade de fibra pode ser benéfica. Quando essas intervenções não ajudarem, alguns fármacos podem ser úteis, como a loperamida, que retarda a evacuação. Exercitar a musculatura anal aumenta o seu tônus e a sua força, ajudando a prevenir a recorrência da incontinência fecal. Caso o problema persista, a cirurgia pode ajudar em determinados casos. Como último recurso, pode-se fazer um colostomia, onde se fecha a abertura anal e o paciente defeca numa bolsa de plástico substituível, aderente a abertura feita na parede abdominal.
O tratamento pode ser clínico ou cirúrgico. O tratamento clínico consiste em corrigir o tipo de evacuação, o que se consegue com dieta e medicamentos específicos para a diarreia e para o aumento bolo do fecal nos casos de prisão de ventre. Antidepressivos e pomadas que melhoram a sensibilidade anal também ajudam. O biofeedback é um auto-treinamento para o paciente descobrir o nível de contração necessário para fechar o ânus.
O procedimento cirúrgico é indicado quando o quadro exige transposição dos músculos e para a implantação de um esfíncter artificial.

Recomendações

* Não se constranja em procurar ajuda se apresentar sintomas de incontinência fecal. Esse distúrbio pode prejudicar seriamente a qualidade de vida se não for tratado;
* Ingira mais fibra para aumentar o volume das fezes e evitar crises de obstipação intestinal;
* Use supositórios evacuadores ou pequenas lavagens intestinais para esvaziar o reto antes de sair de casa. Desse modo, será possível evitar o inconveniente da perda de fezes ou de gases;

* Aprenda a utilizar a musculatura anal que possui. Em três ou quatro sessões de biofeedback, é possível dominar essa técnica.

13 comentários:

  1. A PESSOA QUE APRESENTA INCONTINENCIA FECAL E URINARIA E CONSIDERADA PORTADORA DE NECESSIDADE ESPECIAL,SENDO QUE O APARECIMENTO DAS MESMAS É DEVIDO A MIELOMENINGOCELE?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, com certeza, pois até mesmo no caso da mielo com hidrocefalia temos até um CID proprio. Nesse caso, você tem direito a todos os beneficios que as leis que tratam sobre portadores de necessidades especiais garantem aos mesmos, inclusive estar dentro das cotas de portadores de necessidades especiais de emprego, tanto em empresas privadas como no setor público através dos concursos públicos, que é de 5% do total das vagas oferecidas. Me desculpe a demora em te responder.

      Excluir
  2. Olá Marcelo, li sua história, e me emocionei a cada momento e chorei em todos..... Sou Lana, mãe do Iago de 4 anos e meio, nasceu com mielo, milagrinho de Deus, graças a Deus fisicamente é uma criança normal, não tem hidrocefalia e nem deficiência motora...
    Mas tem incontinência urinaria e fecal. Meu Deus a fecal, me assusta bastante, pois no caso do Iago é diferente da maioria das pessoas que tem mielo, pois o dele o intestino é MUITOOOOOOOOOOOOOOOO SOLTO, bastante mesmo, sempre, sempre está com diarreia, faz umas 06 vezes ao dia, já internou 02 vezes por causa da diarreia, pois desidratou bastante.... é raro ter fezes sólidas ou normais...Fiz vários testes alimentares, ele não pode leite, soja, frutose, açúcar, trigo, ovo, meu Deus, o menino já não come quase nada.... e acho q fico privando ele de comer e acho q não é nada disso e sim da MIELO. Já procurei vários profissionais e não tenho uma solução.... me ajuda, se vc sabe do profissional certo p/ isso ou da sua experiência, ou se alguém do blog pode me ajudar!!!! Me oriente em busca de uma solução ou pelo menos um pouco de qualidade de vida, pq é constrangedor, principalmente na escola........ Vc é vencedor, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me desculpe a demora em responder, mas fazia algum tempo que não aparecia por aqui, pois estou em trabalho de pesquisa para poder terminar algumas seções do Blog que ainda nao estão prontas. Bom, quanto ao intestino neurogenico, creio que o melhor profissional a ser procurado seria um médico Gastroenterologista. Pois esse profissional vai pedir exames que poderá indicar o melhor tratamento. Alguns casos de intestino solto, resolve-se atraves de dietas, afinal de contas, nenhuma pessoa, principalmente o portador de mielo com intestino neurogenico não podem comer muita gordura ou alimentos de dificil digestão (carnes vermelhas, por exemplo, tambem podemos incluir aqui as massas), que devem ser consumidos apenas esporadicamente. Espero ter ajudado, caso queira conversar mais a respeito pode me adicional no facebook, basta me procurar pelo nome Marcelo Bravin Carmello. Me adiciona nos dois perfis.

      Excluir
    2. Obrigada por responder Marcelo.... Já fui em uns 5 gastro, já fui em alergistas e nutrólogos....Ufa! Agoar conseguimos consulta no Sarah em Brasília.... mas sempre estão preocupados com a bexiga neurogênica, que no caso dele tbm é solto, então não dá infecção de urina, graças a Deus! Mas me preocupa bastante o intestino, já questionei sobre alguns órgãos ligados ao intestino, como apendice, pancreas, baço, sei lá , qq coisa, pois sempre acho q deve ter tbm má formação em uns destes órgãos, ou simplesmente no nervo do intestino, pois lá no Sarah, a médica nos orientou que no caso do Iago seria mesmo as alergias alimentares, pois mielo SEMPRE tem intestino preso.
      Muito obrigada.

      Excluir
  3. Obrigada por responder Marcelo.... Já fui em uns 5 gastro, já fui em alergistas e nutrólogos....Ufa! Agora conseguimos consulta no Sarah em Brasília.... mas sempre estão preocupados com a bexiga neurogênica, que no caso dele tbm é solto, então não dá infecção de urina, graças a Deus! Mas me preocupa bastante o intestino, já questionei sobre alguns órgãos ligados ao intestino, como apendice, pancreas, baço, sei lá , qq coisa, pois sempre acho q deve ter tbm má formação em uns destes órgãos, ou simplesmente no nervo do intestino, pois lá no Sarah, a médica nos orientou que no caso do Iago seria mesmo as alergias alimentares, pois mielo SEMPRE tem intestino preso.
    Muito obrigada.

    ResponderExcluir
  4. Lana ,boa noite.
    EStamos com o mesmo problema de seu pequeno.
    Como está a situação dele hoje?
    Qual o telefone para contato?
    Abs
    Salvador

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Salvador, de onde vc é? Moro em Goiania, se puder me encaminhar no email lanapeixoto@yahoo.com.br para conversarmos melhor.......
      Me conte mais tbm é filha ou filho?
      Aguardo seu retorno.

      Grata, Lana

      Excluir
  5. Olá, meu filho tbm tem o intestino muito solto e nasceu c mielo, não sei q médico devo procurar e nem o q fazer, pois está sempre assado, fica em carne viva e tem fissuras anais tbm. Ele ainda é um bebê e já usei muitos tipos de pomadas diferentes q os dermatos passam, mas nada resolve já que é preciso tratar a causa do problema. O q faço?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vanessa, o Iago tem 5 anos e tem assaduras até hoje, as vezes dá na carne...... Eu uso pomadas com óxido de zinco e maizena junto! Nosso problema é que nossos filhos tem a bexiga e intestino soltos, e a maioria das pessoas com mielo, tem PRESO. E os médicos se especializam na bexiga, no caso há vários pediatras urologistas, pois qdo é preso pode comprometer o funcionamento dos rins, pois sempre dá infecção de urina. E o Iago só deu infecção de urina, qdo começou a tomar o RETEMIC que segura a urina, agora ele não toma mais e nunca mais deu infecção, pois a bexiga sempre está solta.
      Então, não há médicos especialistas em intestino, nosso maior problema, estou tentando marcar com um médico pediatra, especialista em intestino, ele é do México, chama Dr. Alberto Penã, mas é complicado e bastante oneroso.
      O Iago já fez vários testes alimentares e sempre dá novos alimentos que ele não pode comer, mas nunca passa, nunca melhora e sempre está solto e com bastante assaduras tbm......... já foi em vários gastros, vários alergistas, vários nutricionistas e nada, nada....... não conseguimos achar um médico que se especialize em intestino nas crianças com mielo. Vamos conversando..... Bjim

      Excluir
  6. Oi Lana!! Te mandei um e-mail, minha filha também tem.mielo!!

    ResponderExcluir
  7. oi gostaria de saber se e normal uma criança com mielo,ficar ate 10 dias sem fazer coco,meu filho de 7 anos passa por isso sempre

    ResponderExcluir
  8. ola meu bebe tem 3 meses e tem mielo não consigo curar as assaduras ja usei tudo qe tipo de pomada sera q alguem pode me ajudar

    ResponderExcluir